Em Tempos de Referendo…

Publicado por em out 6, 2005 em Blog | 8 comentários

O referendo está quase aí. Votar “sim” ou votar “não”, eis a questão. As propagandas na tv ajudam muito pouco a tomada de decisão, e conversar com as pessoas complica ainda mais. Com tanta coisa para fazer, o tempo passando mais rápido que nunca, parar para pensar no assunto da proibição da venda legal de armas acaba ficando para trás.

Me lembro claramente como um bom moço,  da pequena cidade que eu morava quando era criança,  morreu por causa de tiros de assaltantes. Talvez, se ele não tivesse uma arma em casa, não teria se sentido tão forte, não teria saído armado no jardim, teria fechado as portas da casa e chamado a polícia. Foi um choque para a cidade, um moço tão lindo, tão trabalhador, tão querido por todos. Eu ainda duvido que ele, se tivesse a chance, teria atirado em qualquer um dos assaltantes. O “se”, o “talvez” não têm sentido nesta história. Já aconteceu e não tem como voltar atrás. Mas será que dá para evitar outros incidentes como este?

Por um acaso achei este curta-metragem, que mostra outro lado da mesma moeda. Assistam e comentem: Bala Perdida.

8 Comentários

  1. O que essa história de referendo tem me despertado é uma idéia para uma campanha: REFERENDOS E PLEBISCITOS JÁ!
    Eu explico: Os nosso “representantes” se consideraram incompetentes para decidir sobre se devemos ou não comercializar armas no Brasil. Eu concordo interamente com eles e vou além. Também acho eles incompetentes para decidir sobre várias outras coisas. Fiquei tão impressiando com a qualidade das propagandas na TV prós e contra, tudo tão explicadinho, com gráficos, estatísticas e etc….Que pensei então em por que não organizar outros referendos para decidir coisas como a transposição do Rio São Francisco, o aumento dos funcionários da câmara dos deputados, a cassação ou não dos envolvidos no mensalão, o pagamento ou não da dívida externa, o contengenciamento de recusos da educação, da saúde e de C&T, etc…? Já imagino vários economistas e técnicos a favor e contra essas questões no horário nobre da TV. Isso sim me faria me sentir em uma verdadeira democracia. Já temos tecnologia suficiente para isso.
    É claro que não prego a extinção do Congresso! Não! Mas deixaríamos para eles decisões mais relevantes como a colocação dos nomes das ruas, em que dia no ano será o Dia do Saci, para quem seria dado a Comenda do Barão do rio Branco, a cor do uniforme da polícia federal, etc.
    Um grande abraço a todos, Rafael

  2. Oi Roberta,
    Eu tava mesmo pensando neste assunto estes dias por aqui…. perguntei para um amigo meu, que dia seria a votacao. Eu sinceramente tenho minhas duvidas com qualquer coisa totalmente radical. Fico me perguntando: – Tudo bem, nao teremos armas, mas e eles (assaltantes, traficantes e afins…), deixarao de ter? Qual a consequencia disso tudo para o pais?
    Se esta proibicao estivesse intimamente relacionada ao bom policiamento no Brasil e a conscientizacao da populacao, neste caso, acho que eu ficaria mais confortada…. mas sinceramente, nao sei se algo vai mudar enquanto as mudancas nao forem na base da piramide.
    Sinceramente, nao sei…. e vc?
    Beijinhos,
    Rosane.

  3. Só a idéia de que alguém queira comprar uma arma, legalmente ou não, já me dá arrepios de pavor. Arma prá quê? Para se defender de quê? De quem? A sensação de segurança que uma arma pode dar é muito enganosa. E se estiver na mão de alguém desequilibrada, ou cair na mão de uma criança, ou for roubada…

    Também acho que a proibição não é a solução de todos os problemas, precisamos de melhor segurança publica, desarmamento da população.

    Quanto a proposta do Rafa, também já havia pensado nisso. As propagandas estão tão bem feitas, que poderíamos ter campanhas como essa para outros assuntos, como a tal Transposição do Rio São Franciasco.

    Mas me pergunto: quem está pagando as contas destas campanhas “sim” e “não”?

  4. Aí Beta, essa história é complicada…. Pois acho, na boa, que tá tudo errado. Começa pela própria pergunta…Ela já é contraditória…E pra mim o problema maior não é o sim ou o não e sim o desarmamento que na boa, independente de quem irá ganhar não ocorrerá tão cedo. Será que ao invés deles fazerem esse referendo com tanto empenho nesse sim ou não gastando tanta grana eles não poderiam dar essa grana pra outras coisas que o Brasil realmente está necessitado? E a Aftosa? E o São Francisco? E a educação? Saúde?
    acho isso… Bj pro´ce

  5. Gostei Klonei

    Fabricante de pistolas anuncia que quer construir fábrica no Brasil

    Às vésperas do referendo em que a população decidirá sobre a proibição ou não da venda de armas no Brasil, uma das principais fabricantes de pistolas do mundo, a austríaca Glock, anuncia a sua intenção de construir uma fábrica no país.

    A empresa já enviou um pedido de autorização ao Exército e aguarda apenas a resposta para dar início às obras. O Exército informou nesta sexta-feira que ainda não existe previsão de quando deve se pronunciar sobre o assunto.

    O diretor-geral da Glock na América, o brasileiro Luiz Antonio Horta, 43, disse que a empresa deve investir cerca de R$ 20 milhões para construir a fábrica em Campinas (95 km a noroeste de São Paulo), a primeira filial da empresa da Áustria.

    A unidade deverá gerar 500 empregos e produzir, em média, 30 mil armas por ano. Hoje a Glock produz por ano cerca de 550 mil pistolas semi-automáticas. O faturamento anual é da ordem de US$ 250 milhões.

    Sabádo, 22 de outubro de 2005

  6. UMA PENA O PAÍS PERDER A MELHOR CHANCE JA LHE CONCEDIDA , DE ACABAR COM O COMERCIO DE ARMAS E MUNIÇÕES….

    UMA PENA O PAÍS CONTINUAR NESTA GUERRA SILENCIOSA QUE MATA MAIS DE 36 MIL PESSOAS POR ANO…

    MUITO MAIS QUE MUITAS GUERRAS JUNTAS….

    FAZER O QUE…

    DIA 23 DE OUTUBRO DE 2005 SIM 2 NELES

  7. A derrota do SIM deve ser creditada a oposição.

    Igual a eleição do Severino.

    Igual ao aumento dos salarios dos funcionários da camara

    Igual ao aumento do salario minimo para R$ 380,00

    Igual a tantas e tantas outras “lutas” pelo interesse da elite podre e carcomida que vem dominando este país, e que não irá se ver livre desta RAÇA não.

  8. Bem, eu sei que desde a Europa fica diferente, mais acho olho por olho e dente por dente nao e a solucao.
    Beta, vc acredita que por ter uma arma vai ficar mais segura? Sei la, olha os EEUU. No final tudos malucos, porque no final ate o vizinho pode ficar maluco e atirar vc. Faz judo, taekwondo, capoeira…. se vc quizer se se defender, mais comprar arma nao.

    Beijinhos

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.