Absurdo: no Metrô DF, cartão unitário de R$3,00 só é válido por 3 dias!!!!

Publicado por em nov 30, 2011 em Blog | 5 comentários

Além de ser o metrô mais caro do mundo, o cartão unitário do Metrô DF, que custa R$3,00, só é válido por 3 dias! Se você comprou e não usou, não tem choro nem vela, tem que jogar fora. Mas afinal, o que são R$3,00, não?

Eu uso o metrô em Brasília diariamente. Não é fácil, nem rápido, e muito menos barato. Já ouvi dizer que o nome certo deveria ser Lentrô, e uma pesquisa do IDEC mostra que é o metrô mais caro do mundo. Mas não tem jeito, ou compro um carro (alternativa descartada), ou uso o metrô, porque onde moro não tem ônibus conveniente para o Plano Piloto.

Tenho um cartão do metrô do antigo Fácil DF (porque é o único que integra alguns ônibus com o metrô), e quem me acompanha no twitter sabe o quanto já reclamei deste serviço, principalmente pela demora para compensar os créditos e cobrança de tarifa extra pelo boleto. Pelo menos agora não cobram mais esta tarifa, mas os créditos continuam demorando para compensar.

Na segunda-feira (21/11), os créditos no meu cartão Fácil não haviam sido compensados, então comprei dois cartões unitários de R$3,00. Comprei 2 para evitar a fila no guichê na volta. Por ser cartão unitário, que não integra com o ônibus, além dos R$3,00 tive que pagar mais R$1,50 pelo ônibus que me leva à Esplanada.

Só que na volta, resolvi visitar minha tia na Octogonal e tive que pegar um ônibus da década de 70 fedido, barulhento, sem iluminação interna e sem manutenção da VIPLAN. A parada do ônibus, embaixo da passarela da Octogonal, estava igualmente escura (um breu na verdade), e o asfalto ali é meio irregular. O motorista devia estar com pressa, para variar, e não parou perto do meio fio. Escuro dentro do ônibus, escuro na parada, escuro no chão, calculei mal a distância e torci o pé na descida do ônibus. Resultado: hospital no dia seguinte, raio-x, tala de gesso, muleta, e 5 dias sem colocar o pé no chão.

No dia 28 quando voltei ao trabalho, lembrei do cartão unitário que comprei anteriormente e que ainda estava na minha carteira. Surpresa: meus créditos expiraram e o cartão simplesmente não vale mais. Os R$3,00 que se paga para um cartão unitário, diga-se de passagem um cartão com chip que a roleta lê, só são válidos por 3 dias.  Não me lembro de ter visto isso claramente na estação onde comprei o cartão, mas na volta para casa, indignada, encontrei este folheto na estação onde desembarco (clique nele se quiser ler), que diz claramente: “A partir do dia 12 de setembro o Cartão Unitário terá validade de apenas 3 (três) dias”.  E tem mais (e pior), os de final de semana só são válidos no dia da compra!!!!

Como assim? A tarifa não continua a mesma de uma semana para a outra? Os R$3,00 desvalorizam tanto assim em 3 dias?

Este valor, R$3,00, paga 3 boas refeições em um restaurante popular, por exemplo, e tenho certeza que tem muita gente, muita mesmo, que não pode se dar ao luxo de jogar fora R$3,00. Além disso, os cartões, que não são de papel, são como um cartão de crédito com chip, quando válidos, são engolidos pela roleta e reutilizados. Com certeza tem um custo, e este que eu tenho aqui só tem um destino: lixo! Além de ter jogado meu dinheiro fora, vou jogar também recurso público.

Eu sinceramente gostaria de entender qual a lógica deste prazo de validade para o cartão unitário. Será que alguém me explica? E será que nos outros metrô, os que não são os mais caros do mundo, isso também acontece?

5 Comentários

  1. Moro em Belo Horizonte e a conclusão que chego quando ouço histórias como essa em Brasilia é que : Na criação de Brasilia, a cidade foi dividida entre os politicos da epoca , como eles ganharam todas as concessoes de graça e como entre eles um protege o outro,e como eles estão infiltrados em todas as esferas do poder (executivo, legislativo e judiciario) e como eles não precisam usar onibus, tëm dinheiro para comprar carro e pagar gasolina. E como não há cobrança por parte de ninguem que exerce o poder mas que não representa o povo. Eles fazem do jeito que lhe convier. O jeito de ganhar o maximo oferecendo o minimo. Ou seja , enquanto não derrubar esta elite nojenta que está infiltrada, trabalhanco nos melhores empregos publico, com as melhores remunerações , e a custa do povo, não teremos os nossos direitos exercidos.

  2. Eu só acho uma coisa: infelizmente o brasileiro (não digo todos) ainda não aprendeu a viver na democracia. “O que isso tem a ver?” Tem a ver pq, se por um lado os governantes e gestores da coisa pública pintam e bordam amparados pelas leis em desfavor da população, a população, por sua parte não faz muita coisa, pois elegem sempre os mesmos caras que por anos exercem o poder e não fizeram (ou fizeram pouco) mudanças que facilitem a vida do povo. Hoje tenho 37 anos, e desde que me entendo por gente ouço falar que em crise na saúde pública, educação pública e por aí vai. Não é possível que em quase, no mínimo, 4 décadas, não se consegue resolver essas coisas num país tão rico como o nosso. Acho que Brasília tem o pior sistema de transporte público do mundo. Moro no Riacho Fundo 1 e às vezes espero 40 minutos para pegar um ônibus na W3 Sul pra cá; e nesse tempo, já passaram 3 ou 4 pro N. Bandeirante. O problema também é que ser político neste país é “profissão”, quando deveria ser algo filantrópico a serviço do país. O cara pra ser Senador ou Deputado, deveria ganhar 2 salários mínimos no máximo, sem direito a motorista nem nada, além de outras regalias que tem direito. A última vez que peguei metrô foi pra nunca mais! Tive a infelicidade de pega-lo no final da tarde no Setor Comercial Sul para descer no Parkshopping. Ao chegar lá, quase não consegui descer a tempo de fecharem as portas do trem de tanta gente que tinha no vagão. Tive que literalmente sair atropelando todo mundo, senão eu ia descer só no Guará. Enfim, por isso que a vida em Brasília é muito difícil. Por um lado há uma elite poderosíssima e rica (políticos, funcionários públicos de órgãos importantes, como Senado, Câmara e tribunais) e do outro a população que sofre com o descaso. Só quero ver aonde isso vai parar, q quando o povo vai se mobilizar.

  3. vamos entrar com uma ação coletiva contra este abuso pessoas que se sentiram lesadas , vamos engrossar esta corrente

  4. Bem Colegas, eu trabalho no metro DF, e também acho isso um absurdo. Depois que terceirizaram a bilheteria esses absurdos andam acontecendo. Bilheteiros vendendo cartão sem saldo. Para onde vão este dinheiro. Já denunciamos mas o poder publico não faz nada.

  5. O prazo de 3 (três) dias de validade do cartão unitário do Metrô è ilegal. Além de ser um ato lesivo ao consumidor, a qualidade dos serviços prestados é péssimo levando-se uem consideração o aumento das filas eo fluxo de pessoas nas estações.

    Este ato lesivo praticado por esta empresa ao consumidor cabe ação judicial para devolução do dinheiro aos usuários que não uitilizaram o cartão no prazo de validade estipulado (ilegal) em 3 (três) dias. Informo que estou colhendo assinaturas pra entrar com uma ação judicial cletiva contra este ato lesivo ao trabalhador.

    Talvez saibam que em alguns estados ( por exemplo: Rio de Janeiro), a justiça determinou que a prestadora de serviços de transportes aumente o prazo de validade dos cartões unitários e ou devolva o dinheiro ao usuário de transporte.

    Vamos lutar para que o ussário de transporte coletivo não seja desrespeitado.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.