Só Sei Que …

Publicado por em jan 26, 2010 em Blog | 6 comentários

Em tempos de revisão profissional e pessoal, só uma (in)certeza: … nada sei!

Meu perfil profissional comprovável não se encaixa em nada que encontro (ou que me interessa). E minha tendência é buscar mais conhecimento, mais estudos, achando que preciso aprender e saber mais (do que não sei) para poder fazer qualquer coisa útil.

Será que todos estes anos de estudo e trabalho foram em vão? Ou será que é isso mesmo, quanto mais estudo e experiência, menos se sabe?

6 Comentários

  1. Beta.

    Certamente vç chegou a conclussao que aquele grade fiosofo ja falou:

    Quanto mais sei, so sei que nao sei nada.

    So que as vezes vç precissa de olhar pras coisas em perspectiva. Eu acho que a resposta vç procura esta no que vç escreveu, sta ahi. De um paso atras e olhe o que vç mesma escreveu. Eu acho engraçado porque a gente esta na mesma coisa. Quem falou que precissamos ficar dentro de quatro paredes? Entao olhe diferente.

    Num enquanto eu acho que tudo o que vç ja estudou nao e em vao. Ignorante e o unico que acha que sabe algo.

    Acho que precisammos uma sesiao de skype, lol

    Beijinhos e nao se estresse.

    marcos

  2. Oi, Beta!

    Acho que a pergunta principal é: O que você quer fazer? O que te move, o que te apaixona?

    Então, a partir daí, você dá os próximos passos!

    Beijos,

    Alex.

  3. Roberta!
    Há oito anos atrás entrei nessa história que “não me encaixava em nada”: para o mundo jurídico eu era considerada rural (porque defendi tese sobre política agrícola e vivia envolvida com a causa de defesa cabras nativas, etc, etc); no mundo rural, nunca levavam a sério minhas teorias sobre produção/comercialização de cortes especiais de cordeiros e cabritos, queijos específicos feitos das raças nativas, etc, etc, porque eu era advogada e não produtora rural… Ai, eu decidi que iria ME ENXERGAR! Olhei para dentro e vi que minha alma é rural! Que minha paixão por cozinhar estava acima de tudo e que poderia juntar essas duas coisas e ser eu! Dos meus conhecimentos adquiridos até então fiz um “pacote” e deixei no fundo do baú… fui rever meus conceitos; fui buscar conhecimento da sabedoria do homem do campo que os livros não trazem; fui buscar estudos em coisas que não estão no papel… fui abraçar causas, sem me preocupar com acumular conhecimentos e sim compartilhar o pouco que fui absorvendo nestes oito anos…
    Olho pra trás e (agora) sei que nada foi em vão! Já “reabri o baú” pra escrever legislações e tantas outras coisas, mas sem mágoas, sem ressentimentos, sem “neuras”… Você mesma, Roberta, enxergou em mim o que se poderia aproveitar do meu passado sem ferir o meu presente…
    Talvez as outras pessoas não enxerguem o potencial que você tem! Todos os anos de estudo e de trabalho são conquistas suas!!! Pertencem a você! Eles é que tem que buscar isso no seu baú! E você… bem, você “tem fome de quê”?
    Falo muito até escrevendo, né? Mas ainda quero deixar você com Fernando Pessoa:
    “TUDO VALE A PENA SE A ALMA NÃO É PEQUENA”! e a sua não é!!!!
    Bjs, adriana lucena

  4. Oi Gente
    Obrigada pelos comentários e conselhos!

    Então, se eu pegar um pouquinho de cada e interpretar do meu jeito (não ficar entre quatro paredes, fazer o que me move e me apaixona, e colocar tudo num baú – que pode ser uma mala), será que devo novamente “botar o pé na estrada” e ir ver o mundo?

    😉

  5. rodinha no pe!!!!
    Agora, pode deixar de ficar em quatro paredes, fazer o te move e apaixona, colocar tudo numa mala e viver disso?

  6. Engraçado ler o q vc escreveu…tô na mesma. E minha única certeza é q quero continuar a aprender…mas o q vou fazer c isso ainda não sei pq não parece mto ser o q o mundo anda querendo da gente… Gostei dos conselhos, vou pensar em casa. Abraço, Silmara

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.